Assinatura RSS

Arquivo da categoria: ciência do treinamento

Desvendando a puberdade – IV/IV

Publicado em

Avaliação dos estágios da puberdade em meninos baseado nos estudos de Tanner 

Após o estudo realizado com meninas, os pesquisadores avaliaram 228 meninos britânicos a cada 3 meses, feitas através de registro fotográfico para posterior análise e comparação com as 4 fases de desenvolvimento, consistindo na avaliação dos pêlos pubianos e do crescimento das genitálias. Algumas considerações foram feitas:

  • Cada indivíduo tem sua própria velocidade de maturação; alguns meninos iniciaram o processo em idades mais precoces e outros em idades mais tardias.
  • Um estágio seguiu-se ao outro, sem pular ou retroceder.
  • A genitália começa a se desenvolver entre as idades de 9,5 anos e 13,5 anos em 95% dos meninos e atingem a maturidade entre os 13 e 17 anos.
  • A idade do aparecimento dos pêlos pubianos não foi determinada com precisão.
  • A genitália chega ao estágio adulto por volta de 3 anos após o início do desenvolvimento, mas alguns garotos atingem mais rápido (1,8 anos enquanto outros chegam a levar 4,7 anos).
  • A genitália começa a se desenvolver antes dos pêlos púbicos serem visíveis (nas fotografias) em todos os garotos.
  • Acompanharam o pico de estatura em 41 meninos que o atingiram com a idade média de 14,1 anos.
  • Poucos meninos (5% da amostra) alcançaram o pico de velocidade de estatura antes da genitália estar no estágio 4 e 20% só tiveram o pico quando no estágio maduro.
  • O pico de estatura é atingido em média 2 anos mais tarde nos garotos que nas garotas, mas a genitália dos meninos desenvolvem-se somente 6 meses após o desenvolvimento mamário nas meninas.
  • Os pêlos pubianos aparecem 1 ano e 6 meses mais tarde em meninos do que em meninas.

para saber mais:

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Boys. Archives of  Disease in Childhood, 1970, 45, 13

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Girls. Archives of  Disease in Childhood, 44, 291

Barbanti, V. J. Treinamento esportivo: formação de esportistas. 1ª edição. Barueri. Manole, 2005.

Desvendando a puberdade – III/IV

Publicado em

Avaliação dos estágios da puberdade em meninas baseado nos estudos de Tanner

 Tentando decifrar as diferenças entre a idade cronológica e a idade biológica que influenciam o aparecimento da menarca (primeira menstruação), os pesquisadores avaliaram 192 meninas britânicas durante vários meses, sendo que as avaliações eram trimestrais, feitas através de registro fotográfico para posterior análise e comparação com 4 estágios de desenvolvimento, consistindo na avaliação dos pêlos pubianos e das mamas. Algumas considerações foram feitas:

  • Cada indíviduo tem sua própria velocidade de maturação; algumas meninas iniciaram o processo em idades mais precoces e outras em idades mais tardias.
  • Geralmente os estágios de desenvolvimento dos pêlos e das mamas não coincidem, mas acontecem em fases próximas.
  • Os estágios dos pêlos aconteceram em seqüência para todas as meninas; porém algumas meninas que já haviam atingido o estágio 5 das mamas regrediram para o 4 e depois retornaram ao estágio 5.
  • Algumas meninas passaram do estágio 3 ao 5 das mamas em apenas 3 meses
  • Todas tiveram o pico de crescimento antes da menarca.
  • O pico de crescimento aconteceu por volta do estágio 3 e a menarca por volta do estágio 4.
  • O primeiro sinal da puberdade aconteceu em 95% meninas entre os 8,5 anos e os 13 anos e o estágio mamário maduro aconteceu entre os 11,8 anos e os 18,9 anos.
  • A idade média do pico de crescimento foi entre 12 anos e a idade média da menarca aconteceu entre os 13 anos. O intervalo médio entre o início do desenvolvimento das mamas e o pico de crescimento foi de 1 ano. O intervalo entre o início do desenvolvimento das mamas e a menarca foi de 2 anos, porém foram observados intervalos entre 6 meses a 5 anos e 9 meses.

 para saber mais:

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Boys. Archives of  Disease in Childhood, 1970, 45, 13

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Girls. Archives of  Disease in Childhood, 44, 291

Barbanti, V. J. Treinamento esportivo: formação de esportistas. 1ª edição. Barueri. Manole, 2005.

Desvendando a puberdade – II/IV

Publicado em

Considerações gerais sobre a puberdade

 Até o início da puberdade, meninos e meninas desenvolvem-se de maneira muito similar, diferenciando-se bruscamente a partir deste período. Nas meninas a menarca é a primeira menstruação, e assinala precisamente a conclusão do período puberal, assim como nos meninos essa fase é encerrada com a primeira ejaculação. Estes dois fatores são precedidos pela pico de crescimento (aumento da estatura e peso), e são acompanhados por uma série de transformações que também podem ser observadas, como a mudança da voz, crescimento e pigmentação dos pelos pubianos, crescimento de pêlos nas axilas e da barba.

Apesar da velocidade das alterações da puberdade acontecer de forma distinta e completamente individualizada entre meninos e meninas de idades similares, o processo inteiro dura em torno de 3 anos. Em geral as meninas iniciam o processo da puberdade por volta dos 10,5 anos e os meninos em 11,5 a 12 anos de idade. O pico de velocidade de ganho de estatura ocorre por volta dos 11 anos nas meninas (em média 8,3cm por ano) e aos 13 anos nos meninos (em média 9,5cm por ano) (Barbanti, 2005).

A melhor forma para detectar e acompanhar a medida da velocidade do crescimento de crianças e jovens é obtida através do sistema esquelético e pode ser facilmente identificada pelo uso de raios X. A seqüência da ossificação (transformação de cartilagens em ossos e que conclui o processo de crescimento) é regular e acontece em estágios previsíveis, podendo ser mais acelerados ou mais retardados de acordo com características individuais. Porém expor indivíduos constantemente a irradiação é um tanto arriscada e pouco prático.

Em 1969 Tanner e Marshall publicaram um estudo sobre as alterações das características sexuais secundárias em meninas observando os pêlos pubianos e o desenvolvimento das mamas, classificados em 4 estágios distintos, bem mais simples de serem aplicados. Um ano depois, repetiu o estudo em meninos analisando o crescimento dos pêlos pubianos e da genitália também através de 4 estágios distintos.

Uma observação: estes estudos foram feitos no final da década de 60 na Inglaterra e de lá pra cá houveram várias alterações econômicas e sociais que afetaram profundamente o padrão de vida das pessoas como a alimentação, sedentarismo/quantidade de atividade física e outras, que também devem ser levadas em consideração para evitarmos padronizações totais.

Fontes:

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Boys. Archives of  Disease in Childhood, 1970, 45, 13

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Girls. Archives of  Disease in Childhood, 44, 291

Barbanti, V. J. Treinamento esportivo: formação de esportistas. 1ª edição. Barueri. Manole, 2005.

Desvendando a puberdade – I / IV

Publicado em

Variações no desenvolvimento da puberdade em meninas e meninos

por Liciana Possani

A puberdade é uma fase marcante na vida dos indivíduos pois marca o fim da infância e a iniciação à vida adulta, através da adolescência. Crescimento acelerado, alteração da voz, aparecimento de pêlos e a primeira menstruação das meninas são indícios facilmente detectados pelos jovens e pelos pais, sendo ocasionados pelo aumento da secreção de alguns hormônios. Estas alterações anatômicas e fisiológicas levam a alterações profundas nas habilidades esportivas de meninos e meninas. O crescimento acelerado leva a uma descoordenação motora e a uma diminuição da flexibilidade provisórias, sendo mais pronunciados em alguns indivíduos do que em outros. A atividade física nesta fase tende a atenuar estes sintomas. 

Depois da puberdade, meninos e meninas se diferenciam pela distribuição de tecido adiposo (em maior quantidade nas meninas) e por tecido muscular (em maior quantidade nos meninos). Os hormônios sexuais (Estrogênio e Androgênio) são os grandes responsáveis pelas modificações morfofuncionais e psíquicas que acontecem durante a puberdade e se mantêm durante toda a vida, sendo estimulados pelo Hormônio do Crescimento.

Assim como outros hormônios, a Testosterona afeta o humor e a energia, sendo responsável por comportamentos agitados e turbulentos. Nos meninos os níveis de Testosterona chegam a subir 800% em relação aos primeiros anos de vida, e o resultado é um crescimento súbito e um alongamento de braços e pernas, tornando-os desajeitados, o que obriga o sistema nervoso a se reestruturar. Meninas também secretam Testosterona, mas em menor quantidade, sendo que poucas possuem níveis elevados.

Conhecer mais afundo estas alterações e os estágios de desenvolvimento destes jovens são importantes para melhor direcionar o treinamento para as valências físicas corretas a serem desenvolvidas de acordo com a progressão individual e para evitar lesões. Também ajuda-os a passarem mais tranquilamente por esta fase, sendo melhor compreendidos pelos pais e familiares.

Fontes:

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Boys. Archives of  Disease in Childhood, 1970, 45, 13

Tanner, J.M. and Marchall, W.A. (1969). Variations in Pattern of Pubertal Changes in Girls. Archives of  Disease in Childhood, 44, 291

Barbanti, V. J. Treinamento esportivo: formação de esportistas. 1ª edição. Barueri. Manole, 2005.